Carregando ...

Periodontia

O objetivo fundamental da Periodontia é a permanência dos dentes com função estética. Para esse fim, utilizam-se meios de atuação preventivos, curativos, regenerativos e de controle das doenças que atuam sobre as gengivas e o osso que sustenta as raízes dentais. A maioria dos indivíduos tem inflamação gengival de vez em quando, porém, aproximadamente 10% da população sofrem com as formas mais severas da doença. As alterações patológicas do periodonto são chamadas doenças periodontais.



O que é doença periodontal? 


É o comprometimento dos tecidos periodontais (gengivas e estrutura óssea) causado por bactérias que regularmente colonizam os dentes, afetando a gengiva, o osso alveolar e o ligamento periodontal. Esta doença é hoje a principal causa de perda de dentes em adultos. Sua ocorrência geralmente tem início após os vinte anos de idade, embora algumas formas mais graves podem surgir até mesmo antes da puberdade ou durante a adolescência.


Quais são os sinais e sintomas da doença periodontal?


  • Gengivas sangrando ao uso de fio dental e/ou escovação dos dentes
  • Gengivas avermelhadas, inchadas ou moles ou, ainda, retraídas.
  • Presença de secreção purulenta saindo da gengiva espontaneamente, ou quando pressionada
  • Mobilidade em um ou mais dentes
  • Dentes entortando e/ou com surgimento de espaços entre eles
  • Mau hálito constante ou gosto ruim na boca


Quais as causas da doença periodontal?


A doença periodontal comum tem início com o acúmulo de placa bacteriana sobre os dentes (agregado de bactérias). Essas bactérias da placa produzem toxinas que provocam uma inflamação na gengiva, a chamada gengivite. Sem tratamento, essa inflamação vai aprofundando-se entre o dente e a gengiva, até levar à destruição do osso que envolve os dentes (periodontite).


Há outras causas?


Sim, há outros fatores que podem aumentar a predisposição à doença periodontal e/ou agravá-la. Como, por exemplo, próteses e restaurações com infiltrações ou contornos incorretos, aparelhos ortodônticos, dificuldade de abertura de boca, dificuldade motora de higiene bucal causando aumento na retenção da placa bacteriana. Além disso, estudos comprovam que a presença de saburra lingual (placa esbranquiçada presente na língua) pode agravar e perpetuar a doença periodontal.

Existem também doenças sistêmicas que reduzem a defesa do organismo, aumentando a chance de predisposição à doença periodontal, como por exemplo, diabetes mellitus, leucemia, cirrose hepática, AIDS, predisposição genética, hábitos como o FUMO, medicamentos imunossupressores, entre outros. Em algumas doenças periodontais, o componente genético tem muita importância, fazendo com que membros de um determinado grupo familiar sejam mais susceptíveis.


Como evitar a doença periodontal?


A prevenção e a conscientização do paciente constituem o melhor método para evitar essas doenças. O controle mecânico diário da placa bacteriana, por meio de uma técnica correta de higiene bucal, com escova de dentes, fio dental e escovas especiais para uma higiene avançada, quando necessárias, é suficiente para manter a gengiva e os dentes em condição de saúde e inclusive reverter os episódios de gengivite e periodontite. Conheça as formas corretas de remover a placa bacteriana de seus dentes. Use também um evidenciador de placa, que é um corante com função de permitir a visualização dos depósitos de placa bacteriana sobre os dentes.


Cirurgias odontológicas gengivais


As cirurgias odontológicas gengivais são indicadas para os pacientes que desenvolveram doenças periodontais, que são aquelas nas quais a infecção bacteriana afeta os tecidos gengivais e estruturas ósseas dos dentes. Com o avanço das doenças periodontais ocorre o desenvolvimento da chamada bolsa periodontal, desenvolvida com o acúmulo da placa bacteriana abaixo da linha da gengiva. Nestes casos, a indicação mais comum entre os cirurgiões-dentistas é a realização do ‘retalho gengival’, para limpeza e redução da bolsa. Outras cirurgias odontológicas realizadas em casos de doenças periodontais envolvem a gengivectomia para remoção do excesso do tecido gengival, e a gengivoplastia para remodelagem do tecido gengival que permaneceu saudável após o desenvolvimento da doença.


Como é feito o tratamento da periodontite?


O tratamento da doença periodontal começa com a remoção das causas, ou seja, raspagem do cálculo, remoção de fatores retentivos de placa e da placa em si, preferencialmente, procedimentos sempre realizados por um especialista: o periodontista.


Depois do tratamento da doença periodontal, nunca mais vou ter a doença?


Para qualquer tratamento periodontal efetuado é imprescindível o controle periódico, com manutenção através de raspagens e profilaxias profissionais. Tradicionalmente os pacientes que apresentaram Periodontite têm que ser mantidos em um rigoroso sistema de revisão periódica, com limpezas e raspagens frequentes e, se necessárias, cirurgias gengivais. O tempo entre as revisões periodontais será determinado pelo seu dentista, de acordo com a gravidade de seu caso.


Sorriso gengival


Trata-se de situação clínica em que se observa excesso de gengiva aparente no sorriso do paciente, com elevado efeito antiestético. Há que se avaliar caso a caso a possibilidade de uso de toxina botulínica – o Botox, para correção estética do sorriso gengival ou uso de cirurgias corretivas com alterações de inserção muscular e/ou remoção de tecido gengival.